Setembro Amarelo: como vencer a solidão do home-office

Em 2015, o Centro de Valorização da Vida (CVV), o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) iniciaram a celebração do Setembro Amarelo: um mês inteiro para lembrar e promover ações que previnam o suicídio bem como outros transtornos e doenças relacionadas a ele.

E uma ação dessas vem bem a calhar no momento em que vivemos. A nossa sociedade vive uma overdose de informação, de pressão, de estresse. Não é à toa que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 4,4% da população mundial teve casos de depressão.

Estes dados compilados até o final de 2018 mostraram números ainda mais preocupantes aqui, em terras tupiniquins: 5,8% dos brasileiros tiveram depressão e 9,3% tiveram casos de ansiedade, posicionando o Brasil como o recordista na América Latina.

Tristes estatísticas sobre suicídio

Os números apresentados a seguir dão um panorama preocupante sobre os casos de suicídio tanto no Brasil quanto no mundo e reiteram a importância de ações como o Setembro Amarelo.

Segundo a OMS, o suicídio é considerado a segunda maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos no mundo, perdendo apenas para as mortes no trânsito.

São aproximadamente 800 mil pessoas em todo o planeta morrendo por atentarem contra a própria vida todos os anos. Isso representa uma morte a cada 40 segundos! No Brasil, todos os dias são 32 pessoas cometem suicídio.

Precisamos falar a verdade: home-office não é só felicidade!

Quantas vezes você já ouviu alguém falar que “home-office é bom demais”, “isso que é vida boa”, “uma vida fácil”, “trabalho dos sonhos” e por aí vai?

O que ninguém fala é que o home-office, o trabalho freelancer, não é nada fácil! Você precisa gerenciar seu próprio tempo, pegar no seu próprio pé, ser autocrítico, responsável, objetivo, paciente e muito mais.

Sem falar daquele grande problema enfrentado por quem tem um home-office: a solidão. Muitas vezes você não tem colegas para compartilhar sucessos e problemas, tirar dúvidas, tomar um cafezinho. A falta de interação vai nos tornando mais tristes e desmotivados. Daí para um quadro de ansiedade e depressão é, como diz a gíria, dois palitos!

Como lidar com a solidão do home-office?

No início da carreira como freelancer, a ideia do home-office é extremamente atrativa e, sem dúvida alguma, muito cobiçada. Imagina só: nada de trânsito, horários mais flexíveis, liberdade de ir e vir, sem horário de rush!

No entanto, conforme passam os dias, meses e até anos, o home-office pode se tornar algo completamente diferente e extremamente opressor.

A solidão, muitas vezes, não apenas desanima o freelancer, como também acaba fazendo com que muitos desistam desse estilo de vida.

Não há milagre que resolva a solidão, mas, com certeza, há métodos de lidar com ela. A seguir, listo algumas ideias para te ajudar a sair dessa opressão:

Saia com os amigos

Ter amigos para ajudar a fugir da rotina é essencial e importante. Evite se isolar deles, converse, marque uns rolês por aí. Divirta-se.

Marque algumas reuniões presenciais

Eu sei que isso pode soar um pouco contrário a tudo que costumamos falar sobre a vida de freela, porém ter contato e gerar conexões presenciais te ajudará a se manter ativo mentalmente. Ver pessoas, movimentos, carros e outras coisas do tipo ajuda sua mente a perceber que ainda há vida além do seu home-office. Seu cliente não está tão perto de você? Melhor ainda. Pode ser uma boa oportunidade “viajar a trabalho”.

Trabalhe fora

Às vezes o silêncio faz bem. Mas, quando bate a solidão, um pouco de movimento não te fará mal, pelo contrário. Vá trabalhar em um café, uma padaria, um shopping. Vale considerar até assinatura de um plano de coworking. Dica: procure @beerorcoffee, eles têm planos semanais muito em conta!

Saia para a rua e se exercite!

Saia da cadeira! Faça uma caminhada pelo menos. Basta dar a volta no seu quarteirão para causar os mesmo efeito que citei acima: você irá ver pessoas e isso faz com que sua mente reconheça-se como parte de uma comunidade!

A solidão do home-office é algo sério, ela pode desanimar, pode inclusive auxiliar na depressão, e você precisa cuidar para que isso não ocorra.

Estar em sociedade é algo natural ao bicho homem e precisamos sentir que somos parte de algo, precisamos pertencer. Ao praticar essas dicas você afastará esses sentimentos.

Boring self care: cuidados chatos, mas essenciais!

Você pode até não ter ouvido ainda falar do termo “boring self care” (autocuidado chato, em tradução para o português), mas certamente precisa lidar com isso. São aquelas coisinhas que ninguém gosta muito de fazer, que acaba procrastinando, mas que são essenciais para que nossa vida se mantenha nos eixos.

Dormir bem, desligar o celular para focar nos trabalhos, beber água, se alimentar melhor, passar protetor solar ao sair na rua, olhar a conta bancária antes de fazer qualquer compra por impulso, responder àqueles e-mails ou às conversas paradas e que precisam de um andamento. Todas essas coisinhas do dia a dia são importantes para que a gente possa trabalhar melhor e manter mente e coração em paz.

Como disse um de nossos parceiros freelancers, Guilherme Santos, em um de seus artigos no LinkedIn: “Você pode tentar milhares de técnicas, tomar até café colhido por monjas virgens dos alpes suíços. Mas se não tiver o seu coração e a sua mente em paz, você não vai produzir nada!”.

E como fazer para manter a mente e o coração em paz, se mantendo também ativo e, principalmente, produtivo? Eu tenho algumas dicas a seguir.

Aprenda a gerenciar seu tempo e suas tarefas

No dia a dia do ambiente profissional é fundamental ter um sistema pessoal para organizar suas tarefas e responsabilidades. O método varia de pessoa para pessoa, sendo eles: e-mail, agenda, lembretes do Google ou até post-it.

Você vai precisar tirar quinze minutos (ou trinta minutos) para rever compromissos, visualizar o que vem pela frente e se planejar sem estresse.

Um simples checklist de três partes pode te ajudar a compreender esse método:

  • Triagem de urgência (descobrir o que precisa ser feito agora)
  • Manutenção preventiva (o que não é urgente ainda, mas não pode cair pelas frestas)
  • Plano de ação (o que fazer ao longo da semana)

Para se organizar, pode utilizar quatro principais aplicativos:

  • Um calendário digital (indico o Google Calendar, que está integrado ao Gmail e agora possui o recurso prioridade, que pode ajudar você a se organizar ainda melhor, conforme expliquei neste artigo.
  • Um gerenciador de tarefas (indico Todoist ou Wunderlist)
  • Um aplicativo para salvar artigos e outras coisas para depois, como o Google Keep ou Pocket
  • Um aplicativo para guardar referências para projetos e outros interesses, que pode ser o mesmo usado no item anterior; o importante é manter um local separado, para diferenciar “referências” de “ver depois”

O melhor é que você ainda pode sincronizar a maioria desses aplicativos em diversos dispositivos diferentes, tornando sua produtividade ainda maior.

Aprenda: ser freelancer é ser livre

Trabalhe enquanto eles dormem é o pior conselho que você já ouviu.

É verdade que no início da carreira, enquanto freelancers, teremos maiores dificuldades e certamente trabalharemos mais, às vezes passando noites em claro. Mas isso não DEVE ser sempre assim.⠀

Um dos motivos pelos quais buscamos essa carreira é pela liberdade de viver MAIS. Lembre-se que FREE, significa LIVRE, não significa “de graça”.

Aceitar projetos demais é optar por desperdiçar tempo. Sim, desperdiçar! Seu tempo é precioso demais para se deixar levar por essa máxima. Está na hora de rever quais são seus conceitos de SUCESSO e começar a viver um pouco mais.⠀

Isso é apenas um dos tópicos de que falo em meu novo livro “Ser Freelancer”. Um livro sincero para quem quer deixar de ser apenas um sobrinho “gourmetizado”. Nesse livro, falo sobre os perigos do excesso de trabalho e o que isso pode gerar de transtorno em sua saúde.

O burnout causado pelo excesso de trabalho está cada vez mais comum. E isso não é nada bom! Empreendedores entram na onda do hard work a todo momento e esquecem que um motor, para trabalhar bem, precisa de descanso, uma boa refrigerada para não explodir.

Aproveitando o assunto, aconselho que você ouça este podcast do Aparelho Elétrico que fala sobre burnout e a glorificação do excesso de trabalho.

E, por fim, te convido a fazer um teste. Será que você está pirando de tanto trabalhar? Faça este teste e saiba se você está entrando em uma fase de burnout.

Se estiver, que tal desacelerar e cuidar um pouco da sua saúde mental? Não adianta correr atrás de tanto dinheiro, trabalhar tanto, se daqui a pouco você não tiver saúde para poder aproveitar suas glórias e conquistas ao lado daqueles que você ama, não é mesmo?

Se mesmo assim em algum momento você se encontrar deprimido, perdido, sem saber o que fazer, entre em contato com o Centro de Valorização da Vida (CVV) através do número 188.

Outra dica é acessar o site da Eurekka e aprender um pouco mais sobre saúde mental e até fazer uma terapia online. Com os materiais disponíveis você pode entender um pouco mais sobre você mesmo, melhorar sua qualidade de vida e ficar cada vez mais feliz.

Compartilha com a gente nos comentários a sua experiência. Você já se sentiu deprimido, triste, esgotado com o trabalho freelancer ou home-office? O que faz para não pirar? Conversando e compartilhando experiências podemos nos ajudar e colaborar para um mundo mais saudável e feliz.

Pin It on Pinterest

Share This