fbpx
Como precificar sua hora como freelancer?

Finanças para Freelancer

Como precificar sua hora como freelancer?

Sebastian
Escrito por Sebastian em 3 de fevereiro de 2020
Cadastre-se no FreelaNews

Junte-se a mais de 2 mil freelancers que já estão transformando suas vidas e carreiras

“Quanto você cobra pra fazer tal coisa?”

Você já deve ter ouvido esse questionamento muitas vezes. E já deve ter passado um apuro para fazer as contas rapidamente em sua cabeça e tentar precificar algum tipo de trabalho.

Precificar sua hora como freelancer pode ser uma missão difícil. Afinal, cada cliente é um cliente, cada trabalho apresenta uma complexidade, tem características únicas.

Às vezes ficamos com receio de cobrar um valor caro demais e perder o cliente. Ou de cobrar a menos e ficar no prejuízo.

São vários fatores que precisam ser levados em conta. E é sobre eles que vamos falar melhor a seguir. 

Analise o mercado

Para precificar sua hora como freelancer, você pode iniciar analisando o mercado em que está inserido. Tente descobrir como trabalham os seus concorrentes, quanto cobram e como realizam seus serviços.

Eles possuem algum diferencial? Têm algum valor agregado que enche os olhos do cliente? Alguma forma de pagamento que facilita o fechamento de um negócio?

Conhecendo o mercado, você pode avaliar os valores médios cobrados pela concorrência, pensar em formas de agregar valor ao seu serviço e se diferenciar dos demais ou criar preços especiais e promoções para conquistar o público.

Quanto você quer ganhar?

Uma das formas mais simples e práticas de precificar sua hora como freelancer é pensar em quanto você gostaria de ganhar por mês e fazer o cálculo baseado nessa ideia.

Por exemplo: você identificou que precisaria de um salário de R$ 4.000 por mês, trabalhando 7 horas por dia, em 5 dias da semana e tendo pelo menos 6 semanas livres para tirar férias. Fazendo uma conta básica (ou se quiser facilitar ainda mais, usando a calculadora freelancer) chegamos ao valor de R$ 36 reais por hora.

Poderíamos encerrar por aqui, afinal você já chegou a um valor. No entanto, preciso te confessar: nem sempre esse será o ideal a cobrar por um job.

Se você fosse fazer apenas este cálculo simples, deveria incluir nesse valor que você “quer ganhar” uma análise do quanto outros profissionais ganham ao trabalhar em empresas do ramo. Se você fosse CLT em uma empresa, desempenhando essa função, quanto receberia? Não adianta querer ganhar muito mais do que o mercado paga, não é mesmo?

Quanto você precisa ganhar?

Após a primeira análise, feita anteriormente, vamos mais a fundo: quanto você PRECISA ganhar? Aqui você deve pensar em todos os custos que estão envolvidos no processo.

Descubra quanto gasta mensalmente com luz, água, aluguel, internet, estacionamento, locomoção, locação ou compra de equipamentos, assinaturas de programas ou sites, entre outras despesas.

Somando tudo o que você tem de custo, chegará a um valor. Agora, após analisar o mercado, o quanto outros profissionais ganham e o quanto você gostaria de receber, pode entender se o valor da hora cobrada vai suprir suas necessidades. 

É importante ressaltar, e sempre relembro disso, que esse valor está considerando apenas os seus custos, portanto não estamos considerando aqui o lucro. Você pode e deve adicionar a esses valor um percentual de lucro, algo em torno de 50% a 150% acima do valor calculado. Lucro é o dinheiro que você usará para reinvestir no negócio ou usar para você mesmo.

Quanto o cliente pode pagar?

Na realidade o cliente pagará o que for preciso, desde que ele veja muito valor naquilo que está sendo entregue. Veja os “applemaníacos”. Eles pagam qualquer valor, pois acreditam que o que lhes é entregue realmente vale a pena.

No entanto, o que você precisa entender aqui é que cada trabalho e cliente tem suas particularidades.

Antes de fechar um contrato, busque o máximo de informações sobre o job. Qual a complexidade dele? Quantas horas por dia você se dedicar a ele? Terão gastos extras? Você vai precisar se deslocar, fazer reuniões, adquirir algum equipamento específico?

E mais: esse cliente é grande ou pequeno? Ele poderá pagar pelo que está propondo? Será que ele precisa de uma solução robusta, um trabalho elaborado, ou algo mais simples e prático já resolve o problema?

Não adianta pensar só em você. É preciso pensar no seu cliente; afinal, é ele que vai pagar por seu trabalho e provavelmente será ele que lhe indicará para novas oportunidades. 

Entenda mais sobre o trabalho freelancer

Para que você consiga precificar sua hora como freelancer, é preciso que entenda realmente como funciona esse mercado. Você precisa transformar sua visão sobre o trabalho autônomo e entender que é possível ganhar muito dinheiro sendo freelancer.

Mas, para isso, você precisa ter mentalidade (e atitude) vencedora!

Se você quer aprender e dominar os 7 Pilares do Sucesso Freelancer, precisa fazer parte da Comunidade Freela Pass.

Toda semana você terá conteúdos inéditos sobre um dos pilares. Serão lives, podcasts, artigos, estudos de caso, relatórios, além de conteúdos inéditos de especialistas e muitos outros materiais.

Fazendo parte dessa comunidade, você conseguirá não apenas precificar sua hora como freelancer, mas também prospectar novos clientes, organizar sua rotina, suas finanças e conhecer diversas técnicas e ferramentas essenciais para te tornar um freelancer de sucesso!

Hey freela,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

Pin It on Pinterest

Share This