fbpx

Pera, como assim? Quê? Isso não é um Blog de dicas sobre vida freelancer?

Perá-la que eu já explico, foge não, volta aqui. Pega um café, uma água ou uma breja e termina de ler que você vai entender.

É o seguinte, hoje (na data que escrevi isso aqui), é o segundo dia que eu comecei a aplicar as rotinas de um tal livro de autodesenvolvimento, o Milagre da Manhã, do Hal Elrod.

O livro tem lá seu apelo comercial, essa coisas de O Segredo disso ou daquilo…

Não sei se caiu aqui de paraquedas, por acaso ou se aparatou, a questão é que se você já me acompanha sabe que eu adoro Desenvolvimento Pessoal. Não chego a ser o cara chato que não fala de outra coisa… Ah, para, quem eu to querendo enganar? Oks, eu falo sobre isso o tempo todo, mas com conceitos diferentes, baseado em minha própria experiência e algumas referências.

A verdade é que acredito muito no Potencial Humano e acredito que não utilizamos muito das nossas capacidades e por experiência eu sei que quando exploramos melhor nosso potencial, alcançamos outros níveis em absolutamente TUDO o que fazemos.

Deixa eu resumir: O Milagre da Manhã é um livro escrito por um cara chamada Hal Elrod, que criou um método de desenvolvimento pessoal com base em uma ideia central: tirar o máximo proveito da primeira hora do seu dia. pra isso, ele selecionou seis atividades (silêncio, afirmações, exercícios, escrita, leitura e visualização) que te ajudam na tarefa de ser a sua melhor versão de si mesmo.

Já conheço esse livro faz ano (acho que desde o lançamento), afinal eu já curto essa parada de Desenvolvimento Pessoal faz anos, e acompanhei muitos desses livros – Curiosidade, eu trabalhei na Saraiva por uns meses e meu setor era justamente o de Autoajuda, podem me estranhar!

Sabendo que muitos dos meus mentores e pessoas a quem estimo e acompanho já conheciam, indicavam e praticavam o milagre da manha, e na busca de uma nova rotina mais saudável, com maior disposição e que envolvesse coisas que já conhecia, decidi me aventurar.

É cedo para falar, mas a ideia aqui é apenas usar essa coluna para contar como estou me sentindo, praticar a escrita (uma das 6 rotinas) e também aproveitar para compartilhar com vocês qualquer insight que possa vir a ter com tudo o que vem acontecendo.

Bem são apenas dois dias, mas tem alguns pontos que já percebi mudança:

A primeira de todas é o quanto subestimamos nossa capacidade de adaptação:

No primeiro dia eu simplesmente MIGREI meu horário de acordar, que girava em torno de 10-11h da manhã, para as 6h! É isso mesmo, exatamente isso: acordar muito mais cedo, para fazer tudo com calma e FORÇAR um pouco a barra para começar a descansar mais cedo, afinal meu corpo vai pedir isso. De cara assim dá um medo, surge aquelas frase típicas do tipo: “odeio acordar cedo”, “não sou do tipo matutino”. Eu ignorei elas o máximo possível, partindo da premissa, apresentada no livro, de que você acorda com os mesmos pensamentos de quando foi dormir. Portanto acreditar que acordar cedo é ruim, etc e tal (tenho certeza que se você não é “do tipo” que acorda cedo, diversos pensamentos e argumentos passaram aí na sua cabeça, dispensando maiores exemplos), pois bem, retomando: eu já tinha ouvido falar nisso e por isso fiz uma meditação e algumas afirmações de gratidão, pelas horas que iria descansar. Não pensei em quantas horas seriam.

Confesso que estava muito animado quando fui dormir para começar uma nova rotina, as 6h levantei-me animado, descansado e pronto para dar o Start a minha manhã milagrosa.

Percebe o motivo pelo qual subestimamos nossa capacidade de adaptação? Eu realmente quero uma nova rotina, fazer de 2020 um ano incrível e tudo o que tenho direito e mereço… Adaptação e força de vontade andam juntas

O simples ato de sair da minha zona de conforto, o que inclui, principalmente, fazer caminhadas matinais, já foi o suficiente para me mostrar o quanto a capacidade de adaptar me permite fazer muitas coisas por mim mesmo.

Endorfina funciona

Embora eu não seja muito atlético (nem um pouco, convenhamos), a realidade é que os dois dias de caminhada, misturado as demais práticas, me deixou animado para manter-me motivado e inspirado para as demais tarefas do dia, inclusive aquelas mais chatas e impertinentes. Eu amei o efeito e me sinto um pouco meio que viciado. Será que vicia mesmo?

Dormir melhor ajuda

Imagina uma pessoa do meu tamanho, mudando 100% os hábitos: hora de acordar, exercícios, meditação, tudo de uma vez. Meio “terapia de choque” né não? Pois é, isso fez com que eu dormisse como um Bebê! MEU DEUS como eu dormi bem! EU RECOMENDO, afinal, apesar de acordar um pouco dolorido (Já que estou saindo da zona do conforto do sedentarismo) eu acordei disposto, DESCANSADO e nem se quer me lembro de ter acordado um único minuto sequer na madrugada! AMÉM!

É isso, por enquanto é issso… Eu volto por aqui ou pelas redes completando quaisquer novidades sobre essa rotina, não que alguém esteja interessado, mas se tiver, comenta aí se já conhecia esse livro, as práticas ou se achou isso tudo muito louco.

ATENÇÃO: Esse texto é um “diário” que farei de vez em quando, sem compromisso, despretensiosamente e sem qualquer revisão ortográfica e gramatical acurada (Desculpa Carol ?). Você pode ignorar essa sessão, ou rir um pouco seja comigo, ou de mim, fique a vontade, eu não ligo, se isso te entretem de alguma forma e você ao menos pausou uns minutinhos para ler algo tão aleatório quanto esse texto, já consegui alguma coisa: você pausou e desconectou do trabalho.

“Mas Sebastian, e esse título, o que tem a ver com tudo isso ?

Se você realmente quer acordar um pouco mais cedo, para talvez mudar a rotina ou ter um pouco mais de tempo, ou se simplesmente você esta preso no ciclo dos “só mais 5 minutinhos”, já parou para refletir que se você adiar 5 minutinhos para começar seu dia, talvez esteja tudo bem, adiar mais uns 5,10, 15 minutinhos para você atingir seu melhor potencial e talvez até, nunca chegar a ele? Pois foi exatamente isso que me fisgou aqui, cansei de adiar o meu AGORA, e se só se vive essa vida uma vez, então por qual motivo não viver a minha melhor versão AGORA e não daqui a cinco minutinhos?