3 dicas para ter um ambiente agradável em suas negociações

3 dicas para ter um ambiente agradável em suas negociações

Um ambiente agradável é fundamental  para alguém ter sucesso em uma negociação, pois um clima hostil pode levar insegurança para todos os envolvidos.

Desde o momento inicial, o contato deve ser feito de maneira leve, gentil e agradável, tendo em vista este tipo de comportamento mostra uma atitude firme.

É necessário sempre passar uma imagem simpática, agradável e cordial para ajudar a fazer com que o clima não fique tão sobrecarregado.

Com isso em mente, este artigo terá o intuito de ressaltar a importância de um ambiente agradável em uma negociação, as vantagens de ter este espaço, detalhar tipos de negociação e dar algumas dicas para que você aumente as chances de obter sucesso nela.

Engana-se quem pensa que a negociação é algo que ocorre apenas em grandes negócios, como de aluguel de impressora a laser, mas pais, filhos, amigos e clientes também negociam.

Todos eles fazem isso com o intuito de ter sucesso em seus objetivos, porém, para isso, é importante estar no ambiente certo e garantir que ele seja o mais confortável possível.

Saber criar um bom clima é o segredo, pois uma pessoa calma em um ambiente ambiente agradável fica muito mais propensa a aceitar e fechar novos acordos.

Estudar o ambiente que deixa a pessoa mais confortável pode ser o ideal, podendo ser um restaurante ou uma sala de reuniões, por exemplo

Quando o local de negociação é agradável para ambas as partes, ela terá chances maiores de ser bem-sucedida, por isso, é essencial conhecer a pessoa com quem se vai negociar.

Ter um ambiente tranquilo ajuda a fazer com que o cliente confie em você, facilitando, assim, a tomada de decisão favorável para o seu propósito.

Vantagens de um ambiente confortável de negociação

Em seguida, serão destacados alguns dos maiores benefícios de estar em um local agradável na hora de fazer uma negociação, seja em uma empresa de forro de gesso ou outros segmentos.

1. Influencia o cliente a tomar decisões positivas

Se a cultura organizacional da empresa é bem definida, o suporte na hora de realizar algum tipo de negociação é maior, pois a tarefa de cada um nesse processo está muito definida.

O resultado disso é que os processos feitos com o intuito de deixar um bom clima para o cliente, desde quando ele tem o primeiro contato com a empresa, geram resultados satisfatórios.

E isso aumenta muito as chances de o cliente ter uma boa impressão da organização e aceitar fechar o negócio de maneira mais ágil em uma reunião.

2. Melhora o ambiente de trabalho

O clima organizacional de uma empresa não deve ser uma preocupação apenas na hora das negociações, pois os funcionários também precisam trabalhar em um bom ambiente.

Quando os aspectos físico e emocional de um colaborador estão alinhados, ajudam a garantir que ele se prepare da melhor maneira para fazer uma negociação.

Um local agradável ajuda em uma série de fatores tanto para quem o planeja, quanto para quem o visita, como:

  • Na autoestima;
  • No bem-estar;
  • Na motivação;
  • No engajamento.

Um lugar que passa um ar leve, harmonioso e que dá suporte aos clientes deve ser algo encorajado para qualquer empresa que faça grandes negociações.

3. Desenvolve a comunicação interna

Um bom ambiente de reuniões ajuda os colaboradores de uma empresa de lavagem de tapetes residenciais a aprimorarem a sua comunicação interna.

Se todos estiverem alinhados com um objetivo comum, que é o de impressionar os clientes, a comunicação será melhor do que nunca.

A comunicação interna ajuda diretamente na satisfação do cliente, já que a forma de resolver problemas que ele apresenta na hora da negociação são facilmente pensados e resolvidos em conjunto.

4. Eleva a imagem da empresa para o cliente

O planejamento estratégico na hora de uma negociação deve ser feito sempre com o intuito de passar uma boa imagem da empresa para o cliente.

Seja a corporação uma grande fabricadora de piso elevado em ardosia ou de qualquer outro produto.

Quando uma imagem positiva do negócio é passada ao cliente, além de aumentar as chances dele fechar negócio, é possível que ele passe a recomendar a organização para outras pessoas.

E essa indicação pode trazer cada vez mais clientes ao negócio, aumentando, assim, o poder de vendas da marca.

Conheça alguns tipos de negociação

Existem algumas classificações de negociação e, para qualquer pessoa, é essencial conhecer até mesmo aquelas que não são muito usadas no dia a dia.

Cada tipo de negociação interfere diretamente na maneira que ela vai ocorrer e algumas das principais são:

  • Distributiva ou perde-perde;
  • Integrativa ou ganha-ganha;
  • Acidental;
  • Colaborativa.

Para aprofundar um pouco mais sobre como funcionam e como elas interferem em cada uma das etapas de negociação de uma empresa de terceirização de copeira, é importante que sejam explicadas uma por uma.

Distributiva ou perde-perde

Nesse tipo de negociação, algum lado sempre terá uma vantagem maior sobre o outro, ou seja, um dos dois perderá de qualquer maneira.

Esse tipo de negociação envolve algo que inviabiliza dividir as perdas e também os ganhos exatamente na metade e, por isso, alguém sai perdendo algo sempre.

Integrativa ou ganha-ganha

Nesse tipo de negociação, as vantagens são distribuídas e integram-se aos valores, ou seja, acontece um acordo para compensar a desvantagem que alguma parte possa ter.

Com isso, ambas as partes saem ganhando de qualquer forma, e o melhor de tudo é que as duas têm um ganho no mesmo valor.

Acidental

A negociação acidental se diferencia pelo laço que os negociadores podem ter. Ela se caracteriza por negociadores que não se encontrarão mais ou que não se verão com frequência.

Nela, o que importa é o resultado da negociação, já que não acontecerá mais contato e as partes não terão mais nenhum vínculo depois que o acordo for fechado.

Colaborativa

Por último, a negociação colaborativa se caracteriza pela dificuldade em fazer a dinamização do acordo, pois precisa de equilíbrio e dos melhores resultados.

Nesse caso, o relacionamento deve ser mantido, por isso, a busca por um equilíbrio na hora da empresa de uma limpeza de colchão box negociar é algo tão essencial.

Essas são as quatro modalidades mais usadas e a escolha delas deve ser feita para favorecer tanto o momento da empresa, quanto o modelo de negócio que está sendo usado.

A negociação distributiva e a integrativa são as mais usadas e conhecidas, mas as duas possuem seus lados positivos e negativos. Por isso, devem ser escolhidas com foco no objetivo, pois cada uma delas pode levar a um caminho muito diferente do outro.

Já as negociações acidentais e colaborativas são caracterizadas pela relação entre as duas partes, tendo elas contato ou não. Logo, essas negociações impõem que a harmonia e o resultado sejam levados em conta para concluir o sucesso dela.

Dicas para a hora de fazer as negociações

Existem alguns passos essenciais que nenhum empresário pode deixar de seguir no momento de fazer uma negociação com cliente, inclusive para vender prensa hidráulica grande ou outros serviços.

1. Mantenha os ânimos calmos

Independente do tipo de socialização que ocorra, a pressa e a irritação são o que atrapalham a comunicação. Quando alguém demonstra estresse, a pessoa com quem se está comunicando também fica estressada.

Reuniões costumam causar muito nervosismo para as pessoas e, por essa razão, é necessário ter o controle da situação sempre.

Se manter calmo e tranquilo passará uma boa imagem da empresa e sobre o que está sendo vendido, pois a lógica e a preparação prévia mostram uma entidade preparada.

2. Conduza com maestria

Quando os ânimos estão sob controle, todas as estratégias de persuasão planejadas fluem mais fácil. A negociação deve ser conduzida de forma objetiva e com foco na proposta.

Se as possibilidades de resultados da negociação foram previamente pesquisadas, será muito difícil sofrer algum prejuízo ou causar algum para a outra parte.

Para isso, desenvolva a reunião em tópicos e tenha em mãos todas as informações e dados necessários sobre o que irá apresentar.

Seja sempre transparente e passe todas as informações de maneira clara, de modo que não haja nenhuma dúvida no final da apresentação.

Mantenha uma boa postura, mas não intimidadora, tenha um tom de voz firme, mas não ofensivo. Resumidamente, fale com o cliente com a educação que gostaria de ser atendido.

3. Garanta que o ambiente está pronto para recepção

É extremamente desagradável ser recebido em um ambiente mal cheiroso e sujo. Quem já passou por isso sabe como a vontade de ir embora na hora é imensa.

Ou até mesmo a de apressar o assunto que será tratado para poder sair de lá o mais rápido possível, e essa pressa não é boa em uma negociação.

Então, tenha controle do ambiente, priorize salas bem acabadas e mais confortáveis, e garanta que esse local tenha sido limpo e higienizado anteriormente.

Além disso, certifique-se que a sala tenha boa acústica para que não isso atrapalhe a hora da negociação, pois, muitas vezes, os escritórios podem ser barulhentos.

Considerações finais

Como foi abordado no decorrer do artigo, é extremamente importante garantir que o ambiente da empresa seja agradável na hora de conduzir uma negociação.

Um ambiente confortável traz inúmeros benefícios e aumenta as chances de o negócio ser fechado, independente da estratégia de negociação que seja usada.

Por isso, é necessário se atentar ao ambiente na hora de se reunir com o cliente e seguir as dicas dadas para ajudar nisso. Com elas, é possível certificar que uma  empresa de serviços de retífica de motor diesel tenha muito mais sucesso do que já tem.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Saiba como opera o fluxo de caixa  

Saiba como opera o fluxo de caixa  

Os desafios enfrentados pelas empresas no modo geral abarcam questões múltiplas como o controle do fluxo de caixa, indicador que é responsável por apontar a real situação da saúde financeira das organizações.

Levando em consideração os impactos de questões como o avanço da concorrência e ainda as oscilações econômicas, pode-se notar o quão é importante as empresas focarem na boa gestão do fluxo de caixa em prol de seu funcionamento.

Para uma empresa especializada no fornecimento de aluguel de uniformes de futebol, o fluxo de caixa aponta diretamente para o direcionamento de processos internos, incluindo neste sentido, a capacidade de atender os pedidos de clientes.

É fundamental que as organizações tenham em mente que quando se trata do contexto empresarial, há uma intersecção entre procedimentos e áreas nas empresas. Isto é, o andamento exitoso de um processo ocasiona no sucesso dos demais.

Do mesmo modo, se uma área ou departamento da empresa apresenta desempenho não satisfatório, o mesmo pode ser repetido em demais escopos. Por isso, é essencial investigar com antecedência possíveis problemas.

Contextualizando com a esfera financeira, é possível notar que essa possui posição importante para empresas dos mais variados portes e segmentos, inclusive para uma microempreendedora individual produtora de coxinha pronta congelada

Com isso, dado o cenário do mercado bem como o dinamismo visto regularmente nas empresas, é imprescindível que a atenção de proprietários e gestores seja para o desenvolvimento de uma boa gestão do fluxo de caixa.

Afinal, o que é o fluxo de caixa?

O fluxo de caixa está relacionado diretamente com o conceito de um balanço entre as despesas e lucros das empresas, aliás, esse indicador aponta para o valor disponível para garantir que um negócio continue funcionando.

O desafio das empresas, no geral, é conseguir manter em dia os pagamentos relacionados às despesas e ainda assim contar com os recursos exigidos para garantir a produção.

Uma fabricante de escorredor pratos industrial, indica que é necessário que as empresas contem com o desenvolvimento de boas parcerias para facilitar o processo de gestão da cadeia de suprimentos.

Afinal, um bom relacionamento com parceiros além de conferir reputação positiva no mercado, também corrobora para o encontro de benefícios adicionais, como percentuais consideráveis de desconto.

As empresas brasileiras podem ser categorizadas como PMEs, ou seja, pequenas e médias empresas, cuja característica principal é a ausência de investimento ou capital de terceiros no funcionamento e no fluxo de caixa.

Em outras palavras, isso significa que devido a ausência de capital externo como apoio em seu funcionamento, uma empresa especializada na prestação do serviço de limpeza de colchão a vapor, precisa prestar atenção em alguns pontos, como:

  • Custos operacionais totais;
  • Desenvolvimento de melhorias;
  • Objetivos gerais e específicos;
  • Despesas e gastos fixos.

Esses são alguns dos indicadores a serem considerados pelas empresas no momento da elaboração de técnicas que permitem o controle do fluxo de caixa. Não obstante, pode-se salientar que é crucial estar atento para demandas internas específicas.

Por fim, o fluxo de caixa deve analisar também os possíveis riscos operacionais causados por forças maiores, os chamados imprevistos. Sendo recomendado que as empresas aloquem custos para a resolução rápida de problemas e impedimentos. 

Conheça o funcionamento na prática

O indicador de fluxo de caixa deve manter-se positivo para indicar que uma empresa está recebendo mais pagamentos do que direcionando recursos para suprir despesas rotineiras. 

O cenário contrário demonstra que uma empresa está inapta para suprir os gastos distintos, sendo algo visto de primeiro momento como negativo para a saúde financeira. Entretanto, embora a análise das variáveis pareça ser simples, outros fatores podem interferir.

A pauta de finanças é relativamente recente para muitas pessoas, dado que o Brasil é um país em pleno desenvolvimento e por isso há uma discrepância no conhecimento entre os indivíduos.

No entanto, o papel de especialistas do ramo, organizações não governamentais e governamentais é desmistificar os conceitos básicos da pauta de finanças, tornando o conhecimento horizontal para a sociedade.

Assim, é crucial destacar as diferenças conceituais entre a faixa de lucro e o fluxo de caixa. O lucro corresponde ao valor total obtido na comercialização de bens e serviços, abarcando neste sentido os gastos necessários com despesas.

O lucro é caracterizado pelo valor final obtido com o balanço financeiro, abrangendo também o valor indicado pelo fechamento de caixa.

O fluxo de caixa, por sua vez, é um indicador variável, já que a cada semana no mínimo são incluídos novos pagamentos e também novas despesas, como o primeiro emplacamento de moto das frotas de empresas.

Isso quer dizer que o lucro é imutável, por ser um valor indicado com análises prévias de indicativos, já o fluxo de caixa pode variar semanalmente ou até diariamente, de acordo com o fluxo de pagamentos e pagamento de despesas rotineiras.

Cabe enfatizar ainda que estão disponíveis indicadores de fluxo de caixa para diferentes etapas e processos vistos nas empresas, porquanto, é essencial conhecê-los bem como compreender sua aplicação.

Direto

O fluxo de caixa direto é o conceito encontrado com maior frequência no cenário empresarial, aliás, é o indicador de compreensão básica e isso explica o motivo pelo qual sua adesão é alta nas organizações.

Em conformidade, para uma empresa fornecedora de laudo maquina nr12, é importante contar com análises de métricas e indicadores simples para facilitar o entendimento, o que exige baixo conhecimento das equipes e gestores.

A métrica relacionada ao fluxo de caixa direto contempla os registros de entradas e saídas no caixa, sem contabilizar os descontos para compromissos financeiros assumidos previamente.

Com isso, pode-se afirmar que este é o indicador básico de fluxo de caixa, o suficiente para conferir uma visibilidade micro da real situação financeira.

Indireto

O indicador indireto do fluxo de caixa contempla os resultados líquidos obtidos a partir de registros de entrada e saída em uma organização. O diferencial em tal métrica, se dá pela presença de descontos, totalizando o valor líquido.

Considerando o contexto organizacional, é compreensível que sejam contemplados os indicadores referentes a descontos e demais compromissos financeiros durante a elaboração do planejamento.

Essa etapa auxilia as empresas a lidarem com a previsão real de gastos e entradas no caixa. Além disso, o fluxo de caixa indireto apresenta melhor visibilidade sobre o desempenho econômico e por isso é utilizado no DRE.

A Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) é o relatório que contempla as atividades operacionais e não operacionais das empresas, tendo como embasamento os registros de entrada e saída e analisando os descontos com compromissos financeiros. 

Projetado

O fluxo de caixa projetado é o indicador que leva as empresas a fazerem previsões financeiras no curto, médio e longo prazo. Caracterizando-se como um planejamento que prevê melhorias financeiras.

Por ser um planejamento, é essencial contar com dados reais acerca das entradas e saídas, garantindo que o balanço projetado cumpra as expectativas.

Livre

Entende-se por fluxo de caixa livre o valor obtido após o pagamento de todas as despesas e demais compromissos financeiros.

Uma vez cumprindo com todos os compromissos, as empresas podem alocar os recursos para o investimento em novos negócios ou ainda aprimorar o processo produtivo de reator de vidro para laboratório

Operacional

As operações são etapas essenciais para a saúde financeira e comercial das empresas, sendo assim, o fluxo de caixa operacional é o indicador que melhor abrange os registros de entrada e saída, conferindo visibilidade assertiva sobre a saúde.

Em adição, as métricas obtidas com a análise do fluxo de caixa operacional são revisadas por bancos e instituições financeiras para a concessão de linhas de crédito.

Por que investir na operação de fluxo de caixa?

O fluxo de caixa é um indicador relevante para as empresas que produzem tela sombrite branca, tendo em vista que as métricas obtidas conferem o entendimento sobre a real situação e saúde financeira dos negócios.

No entanto, é importante focar na análise de métricas adequadas, para que o planejamento elaborado efetivamente cumpra com o propósito, ou seja, surta os resultados esperados.

Maior transparência

Uma das vantagens específicas a serem enfatizadas é a transparência da informação no contexto organizacional, o que é benéfico para o funcionamento da empresa como um todo.

Os gestores, executivos e proprietários podem contar com maior segurança no que tange ao controle de gastos e delegação de diretrizes e metas.

Clima organizacional favorável

O relato de funcionários dos mais variados segmentos, é que quando está sendo abordado o escopo de clima organizacional, o escopo das finanças impacta relativamente o ordenamento do clima.

Ou seja, uma tensão no clima da empresa é formada quando há incertezas financeiras, isso é algo que começa na diretoria e alta gestão e por fim é repassada aos funcionários e terceirizados.

Sendo assim, investir no controle adequado do fluxo de caixa é altamente benéfico para aprimorar o relacionamento com colaboradores e parceiros.

Considerações finais

O fluxo de caixa é uma etapa essencial para o sucesso financeiro e comercial dos negócios, trata-se de um indicador que abrange os registros de entradas e saídas, considerando as despesas rotineiras e custos fixos para a operação.

Contudo, considerando a categoria das PMEs, característica predominante nas empresas brasileiras como um todo, a recomendação é que as empresas foquem no desenvolvimento da boa gestão do fluxo de caixa. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Slow content: O que é ?

Slow content: O que é ?

A criatividade é um fator importante dentro de diferentes áreas, e produzir conteúdos que possam atrair a atenção de um espectador, acaba se tornando um desafio. O slow content é uma fórmula para que tudo isso ocorra, de modo fluido e orgânico. 

O conceito e a base principal do slow content está ligado ao fato de que, a produção deve ter um ritmo mas dentro dele, a qualidade seja o que realmente importa, sendo que a criação deve ser profunda e uma identidade poder ser vista por meio delas. 

Tendo a tradução para conteúdo lento, quantidade não é tão importante em alguns casos, e nem o tempo que leva como uma montagem de quadro elétrico monofásico deve ser feita com calma para que o resultado seja positivo.  

O objetivo de quem cria por meio do modelo de slow content é que tudo possa ser feito em seu ritmo para que a produção seja algo bom, de modo que em alguns casos, o tempo de quem está criando deva ser respeitado. 

Esse conceito também aborda que os conteúdos devem ter tempo para serem produzidos e não algo feito de automático, para que a originalidade seja o ponto do qual o consumidor será conquistado. 

Já que o marketing digital acabou se tornando uma estratégia bastante utilizada pelas empresas, que querem conquistar o máximo de consumidores possível em pouco tempo, acabam que as redes se tornam consumidas por conteúdos sem aprofundamento. 

Por isso, uma empresa de limpeza de carpete residencial pode criar uma boa estratégia com um conteúdo em formato lento, e de forma criativa, para que o consumidor se sinta atraído pela novidade da qual está vendo.

A importância do método

Ao utilizar o slow content como uma estratégia para os conteúdos que a empresa irá produzir, a importância em torno dele está na melhora que a marca terá para a audiência por conta da qualidade daquilo que foi criado de forma original. 

Essa autenticidade acaba fortalecendo a identidade da empresa, que se destaca dos demais empreendimentos do segmento e poderá conseguir novos consumidores, além de fidelizar aqueles que já utilizam o ventilador centrifugo radial, por exemplo. 

Por isso, esse método acabou se tornando muito importante porque por meio de uma identidade própria e original dentro do mercado, de forma que a audiência consiga ter a sua atenção para os conteúdos que foram criados, acabam dando um maior valor para isso. 

Estratégias e como criar conteúdos de slow content

As estratégias para que um indivíduo que esteja criando conteúdos no formato slow deve ter uma base, sendo incluídos pontos como:

  • Contexto;
  • Boa pesquisa;
  • Elaboração cuidadosa;
  • Valor.

Transformar a empolgação da audiência em saturação é um dos principais erros que são cometidos, portanto, se um e-mail sobre CNH PCD moto deve ser enviado, é importante que essa ação não seja feita com grandes volumes para não correr esse risco. 

Ter contexto é uma das principais estratégias que deve ter envolvendo conteúdos com uma produção mais lenta, podendo não ter um começo e nem um fim em determinada postagem mas também, até mesmo fazer parte de um storytelling. 

O que torna a estratégia ainda mais lenta por precisar planejar com antecedência, pontos que irão prender a atenção do visitante para que ele não somente se engaje, como também, seja parte da trama ao ter seu olhar sob o enredo. 

Slow content também envolve pesquisa, embora alguns criadores possam somente se prender ao formato mais fácil de manter a estratégia de marketing conforme o que está em alta ou que parceiros criaram, é importante que haja originalidade. 

Podendo até mesmo usar outras fontes como experiências reais sobre algo, artigos, livros e eventos sobre LTCAT construção civil, por exemplo, as estratégias saíram em um formato melhor para que bons conteúdos finais sejam mostrados aos clientes.  

A elaboração dos conteúdos devem ser feitas cuidadosamente, para que testes possam ser feitos e refeitos em caso de necessidade de forma mais atenciosa, para que as experiências que o conteúdo irá proporcionar possam ser boas.

Sendo algo que é feito em modo mais lento do que os outros, desde as palavras que vão ser escolhidas até mesmo a forma de interação que terá com os consumidores, deve ter um valor por trás. 

Esse ponto é algo que acaba fazendo a diferença para a pessoa que compram arame recozido duplo, porque acaba tornando-o algo único entre os demais do nicho, podendo ser um conteúdo em si ou então, o formato de uma página completamente diferente. 

Em toda estratégia de marketing que envolva conteúdos, é importante que o planejamento seja feito porque por meio deles, algumas flexibilidades podem ser feitas sem que haja um desvio do foco principal. 

O slow content deve ter postagens com algum objetivo em meio a criatividade de quem a criar porque, ainda sim, essa metodologia deve acabar não só atraindo clientes como também, os consolidando para a empresa. 

As vantagens do recurso

Se uma empresa de tachão para estacionamento planeja investir em slow content, mas busca vantagens para definir se a estratégia vale ou não a pena e o investimento, algumas vantagens podem contribuir com isso. 

01. Formato do trabalho

Por conta da originalidade envolvida no processo, e até mesmo o tempo que envolve para que um material de qualidade seja o resultado final, a equipe de marketing pode acabar balanceando os dois formatos.

Publicando conteúdos mais rápidos e elaborações mais longas, esse sistema híbrido pode dar a empresa a audiência que ela precisa para fazer com que haja interessados em seus conteúdos em meio à agenda de postagens.

02. Maior conexão com a empresa

Tudo que envolve uma boa qualidade pode trazer bons frutos para a empresa, de modo que uma conexão seja estabelecida pelo público satisfeito que a acompanha.

Esse formato de conteúdo é capaz de nutrir um grande número de consumidores, principalmente, aqueles que contêm informações completas, dando uma maior autoridade para a empresa que os utiliza. 

03. Autoridade no tema

Por serem conteúdos que levam mais tempo para serem produzidos, e em boa parte dos casos, necessitam de uma constatação de alguma fonte dependendo da estratégia, a empresa acaba se tornando uma autoridade no tema.

Isso porque a profundidade que eles são trabalhados, bem como, o tempo que levam para serem produzidos acabam gerando esse efeito perceptível para os consumidores. 

Por que investir em slow content?

Se uma empresa está em dúvida do porquê investir neste modelo, um dos principais pontos que levam boa parte dos empreendimentos a utilizar é o tempo que as equipes do setor de marketing tem para se preparar.

O lado artístico pode ser despertado, para que os conteúdos possam ser criados com a originalidade que acaba atraindo o consumidor no primeiro momento.

Para os conteúdos mais textuais, o tempo para redigir e corrigir é ainda maior, dando uma profundidade ao que está superficial para que não seja rejeitado com facilidade, de modo que, por mais que as publicações sejam poucas, podem ser melhores. 

Outro ponto que pode levar a decisão de investimento é a ausência de desperdícios que a empresa acaba se deparando, isso porque houve um tempo para a elaboração do material de modo que, o que será desperdiçado possa ser evitado. 

Isso acaba impactando até mesmo o capital da empresa, que pode cortar e investir somente aquilo que é necessário para o término do projeto e com ele, esperar o retorno que virá dos consumidores. 

Podendo ser uma estratégia que acaba ajudando as empresas que estão iniciando para que, além de não perderem o capital, também possam construir uma autoridade dentro do nicho com os conteúdos certos para cativar a audiência. 

Considerações finais

Portanto, a criatividade é o principal ponto quando se trata de slow content, e também, é um dos métodos dos quais quantidades grandes podem não ter o mesmo impacto do que um conteúdo feito com calma e com um bom planejamento. 

Todas as postagens precisam ter um objetivo e serem originais para que a atenção do consumidor possa ser prendida dentro do que foi criado. 

Despertar o interesse do consumidor por laje nervurada pre moldada é algo que pode ser feito com calma e com objetivos bastante traçados em torno do conteúdo, de modo que a audiência o ache interessante e criativo, podendo ser lançado até mesmo uma única vez.

Criar conteúdos em um formato mais lento que a concorrência pode ser uma árdua tarefa, contudo, a originalidade e a criatividade envolvendo-os pode dar a uma empresa bons resultados em comparação às formas automáticas dos demais segmentos do nicho.  

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

6 Dicas de como ser um freelancer de sucesso

6 Dicas de como ser um freelancer de sucesso

A vida de um freelancer de sucesso tem suas vantagens. A liberdade de horários, ter um maior equilíbrio sobre a vida profissional e pessoal e a economia de tempo ao se libertar da locomoção diária para o escritório. 

Essas são alguns dos motivos que podem causar inveja em muitos empregados. Tudo é ainda melhor para o freelancer que tem sucesso.

Essa liberdade é tanta que o freelancer pode instalar um varal de teto na sua casa, e ainda voltar para trabalhar, pois a flexibilização de horário é algo real e uma vantagem que o freelancer tem acima das outras profissões.

Porém, nem tudo é cor-de-rosa, uma das maiores sabotagens que essas pessoas cometem sobre o freelancing é pensar que as demandas de trabalho magicamente virão até ele, enquanto está em casa, deitado e roncando.

A realidade é que é preciso empenhar-se em dobro para conseguir essas demandas, o freelancer se torna seu próprio patrão e precisa buscar seus trabalhos. Não há possibilidade de esperar que caia do céu, é necessário ir atrás.

O artigo vai tratar de muitos aspectos do freelancing, principalmente sua importância e como ser um freelancer melhor.

Entenda a importância do freelancer

O início da carreira não é fácil para a maioria dos freelancers. Por isso, não deixe de falar a todos que conhece, sobre a sua decisão de trabalhar de forma independente. Será como um aluguel de palete, todos vão copiar e sair espalhando.

Deixe bem evidente qual é a sua área de trabalho, o que se fará e que tipo de clientes podem se beneficiar com seus trabalhos, sem se esquecer é claro, de se mostrar bastante disponível e mais do que satisfeito em ajudar seus conhecidos.

O trabalho de freelancer é interessante justamente por ele poder ir buscar seus próprios clientes, como um lima rotativa para furadeira, ele sempre deve estar girando no mercado em busca da sua demanda de serviço.

Estar disponível é muito importante para que se possa conseguir experiência, contatos e indicações ou recomendações futuras. 

Assim, enquanto o profissional vai se desenvolvendo nesses três fatores, mais fácil será sua permanência e renome em um mercado de trabalho onde cada vez mais aumenta a concorrência.

E ainda que o freelancer seja um iniciante, é muito importante ter em mente que fazer networking e achar boas oportunidades de emprego são fundamentais para o seu crescimento dentro de seu nicho.

Porque, nunca é tarde demais para conhecer pessoas e alargar a sua rede de contatos.

Para tal, o profissional pode começar a frequentar espaços de coworking, ter presença em eventos, nas palestras ou em alguns congressos importantes na sua área de atuação.

Produzir conteúdos que gerem valor aos seus seguidores que estão engajados nas redes sociais e bater um papinho com outros profissionais de seu setor, pode ser essencial para atrair novos consumidores.

Não deixe também de desenvolver relacionamentos de longo prazo com outros profissionais autônomos, para poder trocar informações sobre o mercado, criar parcerias e até dividir projetos multidisciplinares, qualquer interação se torna valiosa.

Fechar-se como se fosse um compressor copeland 15tr só vai te atrapalhar, se abrir e criar relacionamentos saudáveis com outros freelancers, pode te ajudar a alavancar suas demandas.

E ainda que a pessoa seja um tipo de profissional independente e não uma empresa, está vendendo a si mesma quando vai oferecer seus serviços, seja de designer, produtor de conteúdo ou revisor. Ela está vendendo, ou melhor vendendo seus serviços.

Isso simboliza que a sua marca nada mais é do que o próprio profissional. A postura que ele tem perante os clientes e o mercado pode ser o fator mais importante para seu sucesso ou fracasso.

E isso não quer dizer que o profissional terá que desenvolver um nome fantasia, uma  logomarca ou site para os seus serviços , vale ressaltar que nada o impede disso, mas isso mostra para o freelancer a importância do marketing pessoal, marketing da sua marca.

Uma marca de usinagem de motor nunca vai deixar de fazer o marketing de sua marca, só porque ela é uma empresa? Obviamente que não, mas sim por entender a importância da marca num ramo de negócios no mercado.

Para iniciar,  é muito bom definir quais são as suas principais habilidades e objetivos, focando em suas maiores especialidades. Não deixe de pensar na ajuda das redes sociais para fazer o seu marketing online. 

Todos os freelancers de sucesso já conhecem o quão importante é uma boa presença na web para que seu perfil seja visto e sempre lembrado.

6 Dicas para ser um freelancer de sucesso

Existe um mito de que trabalhar como freelancer se resume principalmente em relaxar em casa usando moletom e assistir um filme. Ficar como se fosse um ponto de ancoragem móvel, parado e fixado em apenas um lugar.

Sabe-se que na realidade não é isso, embora haja mesmo essa possibilidade de se distrair com um vídeo enquanto termina algo.

Qualquer profissional independente da profissão, sabe que trabalho exige rigor e disciplina. Não é só relaxar e sentar e assim esperar chegar o dinheiro na mão, se bem que para muitos isso é bom. 

Tomar uma quantidade abusiva e prejudicial de café ou energéticos, ou até se encher a casa com lembretes, não vai tornar o profissional mais produtivo.

O empreendedor Ilya Pozin, citou em um artigo para a Forbes, as pessoas que são mais produtivas, sendo elas freelancers ou empresárias, não estão muito preocupadas em se manter acordadas, realizando várias coisas por dia. 

E segundo ele, isso é um grande equívoco e além disso, configura o oposto da produtividade.

As pessoas realmente produtivas não estão focadas em fazer muitas coisas e sim em como realizar tudo da maneira mais eficaz possível. Nem que seja produzir menos tarefas num dia.

Então, para que a rotina de um freelancer não se torne preguiçosa e o profissional queira apenas ficar sentado tomando chope e vendo filmes, aqui vão algumas dicas:

  1. Administrar bem as redes sociais;
  2. Não ter multitarefas;
  3. Fazer pausas estratégicas;
  4. Banir as distrações externas;
  5. Ter um E-mail organizado;
  6. Fazer bom uso de um calendários.

Aqui o profissional já vai dar um pulo absurdo no seu crescimento diário de produtividade. Essas dicas são como as normas laudo nr 24, com elas o profissional se mantém em dia com suas atividades profissionais.

Produzindo  muito mais e bem melhor, suas chances de estabelecer relações de longo prazo e fechar mais projetos aumentam.

Fazer a escolha certa do serviço como freelancer

É muito tentador oferecer uma ampla quantidade de serviços no começo. Porém, muitas

pessoas pensam que essa é a melhor forma de não perder vendas. E assim, acabam criando perfis e websites com longas listas de ofertas.

Mostrar-se como generalista pode fazer o profissional parecer como se não soubesse fazer nada direito. Tipo um pato, que nada, anda e voa, mas não faz nada disso muito bem.

Com toda certeza um tubarão seria escolhido no lugar do pato para cruzar o oceano.

É muito complicado ser especialista em tudo, ainda mais hoje em dia, com tantas informações disponíveis, prontas para serem absorvidas. O profissional, provavelmente, domina poucas de forma excepcional, e são essas coisas que ele deve oferecer.

Qual serviço freelancer você quer oferecer mesmo?

Acima de tudo, escolher um serviço que o profissional queira e consiga terminar. Pois, não vai ter um patrão o cobrando do trabalho toda hora. Essa motivação virá de si mesmo.

Optar por algo só porque dá dinheiro, ou porque é o que ele acha que sabe fazer de melhor pode muito bem não ser a melhor ideia. Acredite, seu cliente vai ver nele a falta de entusiasmo e ninguém quer pagar por um serviço mau feito.

Principalmente se o freelancing for algo complementar em sua vida ou até uma renda extra. Se o profissional quer um trabalho que possa executar bem, ele deve aproveitar os seus talentos. 

Porém, se após analisar todos os outros motivos acima, descobrir que tem mais de uma escolha na manga, ou até mesmo optar em se dedicar a aprender algo novo, é uma boa opção.

Considerações finais

O trabalho freelancer é muito vantajoso, principalmente para quem tem um perfil mais generalista ou que prefira trabalhar com liberdade, e sem estar preso às garras de algum patrão. 

Se o profissional não gostar de algum empregador, ele simplesmente devolve o dinheiro e se retira do projeto, sem se estressar com isso, pois não há vínculo empregatício entre ambos. Querendo ou não, é benéfico para todos os envolvidos no contrato.

Ninguém ficará se lixando como um raspar taco, não havendo esse vínculo, pois as partes saem ganhando no projeto.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

3 Dicas de gestão financeira para freelancers

3 Dicas de gestão financeira para freelancers

Optar por trabalhos temporários exige diversas questões como o controle da gestão financeira. Isso porque, devido à renda variável, é necessário aprender a lidar com momentos de ganhos mais baixos, mais altos, tempos de crises e afins, através de estratégias de gestão financeira para freelancers.

Isso porque, momentos de adversidade são certos na vida, e trabalhar com renda que varia todos os meses é entender que ao mesmo tempo que em um mês você ganhou rios de dinheiro, os próximos podem não contar com a mesma onda. 

Mesmo com trabalhos que podem parecer fixos, o freelancer deve sempre contar que, a falta de vínculos empregatícios, como por exemplo, um regime CLT, faz com que a qualquer momento determinada empresa possa não precisar desses serviços, ou encerrar o contrato a qualquer período.

Nesses casos, pode até mesmo fazer um curso de gestão financeira para entender um pouco mais, com o intuito de ter uma renda segura, mesmo em condições de trabalho variáveis. 

Uma vez que foi possível levar essas questões em consideração, confira a seguir tudo o que você precisa saber sobre como gerir as finanças pessoais quando se é freelancers. 

O que é e para que serve a gestão financeira?

Ouvir o termo “gestão financeira”, muitas vezes remete as pessoas e questões relacionadas à administração financeira de companhias e empresas. 

Isso porque, a verdade é que poucos indivíduos conhecem os benefícios de aprender e aplicar a gestão financeira dos recursos pessoais em prática. 

Em suma, é possível concluir que a gestão financeira, seja ela empresarial, pessoal ou familiar, nada mais é do que saber como administrar os recursos econômicos de forma consciente, através de estratégias que possam te preparar para momentos de adversidade. 

Entretanto, para além dos tempos de adversidade, como crises, a gestão financeira também é capaz de ensinar ao administrador como se relacionar com os recursos de modo inteligente. 

Portanto, é preciso saber realizar investimentos ou ter um olhar para boas oportunidades, de maneira que tenha um fator econômico seguro e sólido.

Justamente por isso que existem muitos cursos técnicos de gestão financeira em que qualquer pessoa pode buscar se aprofundar e entender melhor sobre como se relacionar com as finanças de forma saudável e segura.

Dicas para uma melhor gestão financeira

Uma vez que foi possível entender a importância da gestão financeira nos diversos setores da vida. 

Então, veja a seguir algumas dicas de como fazer a gestão financeira na prática e aplicar boas estratégias no seu dia a dia, mesmo sem ter feito um curso de administração financeira na faculdade.

  1. Calcule o seu salário

Quando se é freelancer, é certo que o salário pode ser incerto. 

Entretanto, mesmo assim, é necessário calcular os ganhos mensais e ter controle sobre eles. Isso porque tudo o que um profissional recebe por um trabalho deve ser dividido entre quatro principais categorias:

  • Salário;
  • Custos;
  • Reserva de investimento;
  • Reserva de emergência.

Em resumo, é importante ter em mente um valor que deve receber, para então conseguir dividi-lo nessas quatro categorias e começar a colocar em prática possíveis estratégias de gestão financeira, mesmo sem ter realizado um curso de gestão financeira a distância.

  1. Tenha reservas para investir no negócio

Uma das quatro categorias e justamente uma das mais importantes é a reserva de investimento. 

Isso porque, é importante pensar em juntar uma quantia para reinvestir em seu trabalho para torná-lo melhor, como por exemplo a compra de melhores equipamentos, que possam deixar ele mais eficiente, por exemplo. 

Outro exemplo é guardar uma quantia para fazer cursos profissionalizantes, como o de gestão financeira startup

Além disso, tem a compra de algum software ou máquina, ou até mesmo obter um capital de giro para investir nesta melhoria do negócio para não recorrer a nenhuma linha de crédito.

  1. Não se esqueça dos custos

Por último, mas não menos importante, outra dica prática de uma boa gestão financeira é justamente listar todos os custos que você teve para determinado trabalho, seja com a internet gasta, o transporte ou o material utilizado.

Isso porque, além de conseguir ter um controle, é possível, através de obter todas as despesas somadas, entender quanto do valor recebido está sendo usado para pagar custos. 

Além disso, é possível saber exatamente o lucro em cima de qualquer trabalho, bem como mensurar melhor qual deveria ser o preço do seu desempenho em um orçamento, já que não vale a pena ter um negócio se ele não pode te dar ganhos.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Top News Tech, site voltado 

para a veiculação de conteúdos relevantes para empresas, contribuindo com estratégias para o desenvolvimento do negócio.

Subscribe To Our Newsletter

Join our mailing list to receive the latest news and updates from our team.

Listas de Espera

You have Successfully Subscribed!